Acusado por corrupção, Helder inaugura DECOR, Diretoria de Combate à Corrupção
Acusado por corrupção, Helder inaugura DECOR, Diretoria de Combate à Corrupção

O governador Helder Barbalho inaugurou nesta quinta-feira (23), um novo espaço da Diretoria de Combate à Corrupção (DECOR), dentro da sede da Delegacia-Geral.

Acompanhado do vice-governador, Lúcio Vale, e de membros do Ministério Público, da Defensoria Pública e de representantes do Poder Judiciário, Helder Barbalho disse na ocasião:

Que seja uma causa a mover e unir a todos, para que as ações possam promover a boa aplicação de recursos, a garantia da utilização junto às suas finalidades e, claro, construir uma cultura de que não há espaço para a impunidade.

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-10.28.04.png (626×612)

Imagens retiradas do Instagram do Governador Helder Barbalho

Embora haja inaugurado novo espaço destinado ao combate à corrupção , o fato é que Helder Barbalho, seu vice, Lúcio Vale, e grande parte de seus secretários respondem processos por denúncias de corrupção. Desvio de verbas públicas destinadas a merenda escolar, caixa dois, organização criminosa, tem de “tudo” no cardápio de crimes de que são acusados.

O ParaWebNwes reuniu as acusações mais graves de corrupção que respondem Helder e seus secretários:

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.21.37.png (271×252)

Governador Helder Barbalho: Investigado pela Polícia Federal pelos crimes de caixa dois em sua campanha para governador em 2014, além disso ele foi citado em uma fase da operação Gramacho que apura os danos causados pelo lixão na região metropolitana de Belém. Ele também foi citado pelo Ministério Público no pedido de prisão preventiva dos vereadores de Igarapé Miri pelos crimes de compra de votos de vereadores e doação de terrenos municipais

Vice-Governador: Lúcio Dutra Vale

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.20.43.png (270×272)

Lúcio vale foi denunciado pelo MPF por integrar uma organização criminosa que desviou R$39,6 milhões sonegação de dez municípios paraenses por meio de fraudes em licitações entre 2013 e 2017, principalmente com o uso de empresas de fachada. O escândalo de corrupção foi tão grande que uma carta de repúdio à corrupção foi assinada por 15 procuradores da República.

CASA CIVIL DA GOVERNADORIA DO ESTADO E SECRETARIA DE ESTADO DE COMUNICAÇÃO – SECOM

Secretário/Chefe: Parsifal de Jesus Pontes

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.19.44-265x300.png (265×300)

Parsifal de Jesus Pontes, foi prefeito de Tucuruí, deputado estadual e coordenador da campanha de Helder para o governo do Estado do Pará. Em uma ação de 2015, o ex-prefeito foi condenado pela prática de crime de responsabilidade, quando atuava como gestor municipal em Tucuruí, no início da década de 2000.

SECRETARIA REGIONAL DE GOVERNO DO BAIXO AMAZÔNAS

Secretário: Henderson Lira Pinto

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.18.27.png (232×218)

Henderson Lira foi denunciado em 2018 por crimes previstos na Lei de Licitações e peculato. O MPPA aponta irregularidades desde o processo licitatório até a entrega parcial dos serviços na Câmara Municipal, na gestão de Henderson Pinto como presidente.

SECRETARIA REGIONAL DE GOVERNO DO MARAJÓ

Secretário: José Antonio Azevedo Leão

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.17.18.png (230×178)

José Leão conhecido como “Xarão Leão”, foi denunciado por participar de um esquema que inclui um rosário de ilegalidades como a criação de empresas fantasmas, fraudes em licitações e enriquecimento ilícito de 27 pessoas entre gestores municipais, parentes e amigos quando era prefeito de Breves em 2009, 2010 e 2011.

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO – SEPLAN

Secretária: Hana Sampaio Ghassan

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.10.31.png (262×222)

A secretária da SEPLAN, Hana Ghasson é ré junto com o atual governador do estado Helder Barbalho em uma ação civil pública por improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal e acatada pela Justiça Federal. O MP Denuncia a contração de “fantasmas” para o fornecimento de medicamentos para a Secretaria de Saúde de Ananindeua, quando Helder era prefeito da cidade.

SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES – SETRAN

Secretário: Antonio de Pádua de Deus Andrade

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.12.17-300x232.png (300×232)

Antônio de Pádua, foi denunciado pelo economista Mário Ramos Roberto, ex-número dois no Mistério da Integração por acobertar supostamente fraudes em contratos de Tecnologia da Informação (TI), quando era Ministro da integração em 2018.

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, MINERAÇÃO E ENERGIA – SEDEME

Secretário: Iran Ataide de Lima

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.13.32.png (172×143)

ran Lima, teve sua candidatura a deputado estadual em 2018 indeferida pelo Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele foi acusado pelo crime improbidade administrativa, em 2004, quando era prefeito do município paraense de Mojú.

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO PARÁ – CODEC

Presidente: Lutfala de Castro Bitar

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.14.34-300x258.png (300×258)

O Ministério Público Federal (MPF) em 2016 ajuizou denúncia em ação penal pública incondicionada contra Luftala de Castro Bitar. Narra a denúncia que a União firmou três contatos de repasse somando mais de R$15, milhões com o objetivo de construir uma ponte sobre o Rio Jari. Sustenta o MPF que: a despeito do repasse integral pela União dos valores estipulados no contrato, a construção da ponte sobre o rio Jari não foi executada, sendo certo que os denunciados Reginaldo Brito de Miranda, Euricélia Cardoso e Élson Alves Rodrigues, entre os anos de 2005 a 2008, na condição de prefeitos do município de Laranjal do Jari, desviaram recursos da União em proveito da empresa Estacon Engenharia, beneficiando Lutfala de Castro Bitar, então presidente da empresa.

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO PARÁ S/A – CEASA

Presidente: Francisco Alves de Aguiar

Captura-de-Tela-2020-01-24-às-13.16.15.png (275×246)

A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu ao STF a abertura de um inquérito para investigar o Francisco Alves de Aguiar, conhecido como Francisco Chapadinha por suposto desvio de verba pública da Câmara.

FONTE: PARÁ WEB NEWS

Deixe um comentário

Translate »
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de ajuda ao usuário está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
Olá, como posso ajudar?